Crack

Índice

Crack: O que é, sinais, sintomas, como lidar e tratamento

O Crack é bem conhecido por seu impacto destrutivo e por fazer com que seus usuários “consumam”, mas como isso acontece? Como uma pessoa se torna viciada? E quais são os sintomas?

As respostas a estas e muitas outras perguntas serão abordadas neste artigo, respostas que são as mais buscadas em nossa Clínica Recuperando Vida.

A partir deste artigo você também terá a possibilidade de entender por que, mesmo com efeitos tão potentes, esta droga ainda é amplamente consumida.

 

O risco real do Crack não está em seu impacto pessoal sobre o usuário, mas em seu efeito social, porque todas as pessoas próximas ao usuário do Crack são direta ou indiretamente prejudicadas pela ação da droga.

Ao contrário da maioria das drogas, é bastante difícil ver alguém usando Crack de forma recreativa, ou seja, uso ocasional sem repercussões de dependência.

A evolução da dependência se dimensiona muito rapidamente e quando amigos e familiares menos esperam, o indivíduo passa mais tempo na rua do que em casa, às vezes desistindo de beber e descansar por causa da droga.

 

 

 

O que é Crack

 

 

 

O que é crack?

O crack é uma droga ilícita que atua sobre o sistema nervoso central, sendo um estimulante psicoativo, derivado da cocaína.

É uma mistura de cloridrato de cocaína, mais uma base chamada independente como bicarbonato de sódio ou amônia e água, reunindo assim os efeitos mais fortes da cocaína e sendo a segunda droga mais viciante do mundo, só superada pela heroína.

 

Não sem razão, ela tem efeitos semelhantes aos da cocaína, mas de forma potencializada, mais intensa e de menor duração. Os efeitos duram, em média, de 5 a 10 minutos.

Seu impacto mais marcante é a euforia, que dura pouco tempo e cria rapidamente a necessidade de reproduzi-la, levando o organismo a precisar cada vez mais.

O nome Crack dado a esta droga vem do som característico que ela gera quando estoura.

 

 

O que é uma pedra de Crack?

Pedra de Crack é a forma mais comumente encontrada desta substância, sendo um tipo de cocaína cristalina, que pode ser consumida inalada através de tubos, ou em utensílios improvisados, como latas de alumínio, executando o que eles chamam de “jogando a lata”.

Um uso menos famoso é a mistura de fragmentos desta pedra de Crack em cigarros de nicotina e cigarros de maconha.

A pedra de crack em sua forma mais pura é mais branca na cor e tem bordas mais claras.

 

 

 

O Uso do Crack

 

 

 

Uso do crack no Brasil

A droga foi introduzida no Brasil em meados dos anos 80 e início dos anos 90, com a primeira apreensão oficial da droga pela polícia federal ocorrendo em 1990.

Com o passar dos anos, sem uma política pública eficaz contra as drogas, o crack tornou-se conhecido.

Seu uso se espalhou imediatamente porque produziu efeitos ainda mais fortes e rápidos do que a cocaína e é muito mais barato.

 

A maioria daqueles que consomem esta substância são adolescentes, especialmente aqueles com histórico de uso de várias drogas, com famílias desfeitas, com distúrbios mentais e/ou outros problemas crônicos.

Segundo dados da LENAD (Pesquisa Nacional sobre Álcool e Drogas), bem mais de 2 milhões de indivíduos consumiram esta substância em algum momento de sua história, e o Brasil é considerado o maior mercado para esta droga no planeta.

 

 

Qual é a diferença entre crack e cocaína?

O crack é um subproduto da cocaína, um subproduto da pasta à base de cocaína. O que sobra do processo de cocaína é combinado com outros materiais para formar pedras.

Apesar disso, o Crack tem uma absorção mais imediata e efeitos mais fortes do que a cocaína. O manuseio ou forma de ingestão também difere, pois o crack é normalmente fumado e a cocaína é normalmente inalada.

 

O crack é sem dúvida uma versão “mais suja” de cocaína, que está relacionada à pureza da substância, pois o crack é uma mistura da pasta base que sobrou da produção de cocaína com bicarbonato de sódio e água, que depois passa por um processo de decantação de aquecimento.

Por ser preparado clandestinamente, acaba contendo outras substâncias desconhecidas e nocivas em suas misturas, que têm o potencial de acabar aumentando seu impacto nocivo.

 

 

 

O que leva uma pessoa a usar crack

 

 

O que leva uma pessoa a usar crack?

Se a droga é tão prejudicial, como alguém pode estar interessado em usá-la?

Há uma série de causas:

 

Problemas familiares

Uma pessoa com problemas familiares, seja com seus pais, com seu marido ou esposa, com seus irmãos, com todos os tipos de problemas familiares, é frequentemente afetada em várias áreas da vida.

Desta forma, esta pessoa se sente desolada e tentará se livrar destas dores, tentando encontrar apoio em outras coisas.

 

Este apoio pode vir de amigos ou colegas de trabalho, mas para muitas pessoas o alívio acaba nas drogas.

Em última análise, o impacto do entorpecimento os faz esquecer tudo ao seu redor, inclusive seus inconvenientes.

 

Alívio da dor física e psicológica

A droga é um estimulante e tem efeitos como euforia, sensação de forte prazer, aumento de energia, aumento do fluxo sanguíneo e mudanças na percepção e no raciocínio.

Estes efeitos contribuem para a dor, seja física ou psicológica, sendo atenuada ou completamente esquecida durante toda a era em que o usuário está sob o impacto da substância.

Como o impacto é de curta duração, é comum descobrir porções cada vez maiores da droga. Embora outras drogas tenham efeitos semelhantes a este respeito, o crack é muito mais potente.

 

Influência

Uma vez que você convive com amigos que usam drogas, é comum ser apresentado a diferentes drogas.

Isto inclui álcool, cannabis, cocaína, ou vários outros tipos de drogas legais ou ilegais. Uma hora pode ser que alguém o ofereça a uma pessoa mais vulnerável que possa admiti-lo.

 

Curiosidade

A curiosidade é uma característica brasileira bastante arriscada. É mais comum naqueles que vivem em regiões onde o tráfico de drogas está presente e visível, mas pode prejudicar pessoas de todos os estilos de vida.

Quanto àqueles que já usam drogas como para aqueles que nunca usaram nada, é mais comum ter duas opiniões sobre Crack, uma postura preconceituosa contra a droga ou uma postura curiosa sobre seus efeitos.

O preconceito contra ela é criado pelos inúmeros danos que ela traz para o usuário, deixando-o em um estado popularmente conhecido como morto vivo, no qual a população gira na mesma região e habita na funcionalidade dela; ou ainda pelo agrupamento da droga com sujeira.

 

 

 

 

 

 

Outros estão curiosos sobre seus efeitos e o usam, em teoria, apenas para ver a força do impacto. Entretanto, tais drogas têm o potencial de causar dependência na primeira vez em que são usadas.

Estudos indicam que são necessários mais de 4 usos do Crack para tornar alguém dependente. Como nossos próprios corpos variam, há aqueles que provavelmente ficarão viciados no primeiro uso, assim como aqueles que demoram mais tempo.

 

Tolerância a outros tipos de drogas

Para aqueles que já usam outras drogas, existe um mecanismo no corpo humano chamado tolerância, que faz com que o corpo humano se acostume com as substâncias usadas e a use cada vez mais.

Com o tempo, isto pode se tornar um enorme custo em dinheiro, tempo e hábito. E como o crack tem um impacto poderoso e é barato, muitas pessoas mudam para ele.

Elas também migram porque as drogas que estavam usando na época não têm o mesmo efeito sobre o corpo, por isso tentam substituí-las.

 

 

 

 

tratamento de drogas

 

 

 

Quais são os principais sinais do uso do crack?

Em alguns dos tópicos anteriores eu já falei sobre os principais sinais, mas agora vou explicá-los melhor e em detalhes.

Estamos falando de uma droga que tem amplos efeitos físicos e psicológicos. Seu uso abusivo ou prolongado pode causar consequências ainda mais destrutivas, tais como uma overdose fatal.

 

Aqueles que se tornam dependentes podem até parar de tomar e descansar por um certo período de tempo, perdendo até 10 quilos em um mês.

Também compromete o senso estético e a higiene e limpeza do indivíduo, que começa a negligenciar isto, já que o Crack é apenas o que importa.

 

Ansiedade

Como foi dito anteriormente, um dos efeitos mais proeminentes do crack é a euforia, acompanhada por um crescimento do fluxo sanguíneo, de modo que o uso recorrente da droga pode causar ansiedade.

Pode ser desde um sentimento de ansiedade mais exacerbado, até o desenvolvimento de uma desordem mais grave da mente.

Esta ansiedade será um artifício utilizado para fazer com que o indivíduo consuma cada vez mais, pois ele estará continuamente ansioso sobre o instante do consumo.

 

Irritabilidade

Além disso, a droga pode produzir irritabilidade, deixando o indivíduo simplesmente irritado e chateado, e este impacto é aumentado quando o corpo humano não está sob o impacto da substância.

O corpo humano age tentando encontrar uma maneira de conseguir mais para conservar a igualdade do corpo, o que só pode ser alcançado através da utilização da droga.

 

Agitação

A agitação é criada principalmente pela sensação de euforia e aumento do fluxo sanguíneo, o que faz com que o indivíduo se sinta “ligado” ou mais ativo durante todo o efeito da pedra; do crack.

Isto produz uma sensação de maior energia, de modo que o corpo humano tentará se sacudir para diminuir esta energia.

 

Insônia

A maioria dos usuários o faz em lugares específicos e escondidos, e alguns preferem fazê-lo à noite, para não serem descobertos. Toda a energia e agitação geradas pelo crack fará com que a pessoa não durma.

E mesmo com o uso diurno, se o uso for frequente, como acontece principalmente, o excesso de energia também pode minimizar o sono, até que um dia o corpo humano compreenda que não precisa descansar e crie insônia.

 

Perda da fome

Outro sintoma é a perda de fome, que, como eu disse anteriormente, pode levar à desnutrição e consequentemente à perda gigantesca de peso em um curto espaço de tempo.

Além dos efeitos sobre o peso corporal do indivíduo, esta desnutrição também pode causar patologias nos rins, bexiga e intestinos, graças à falta de alimentos e à redução da ingestão de água.

 

 

 

 

 

Como o crack age no corpo?

O crack atua principalmente sobre o sistema nervoso central e o sistema cardíaco, gerando efeitos físicos e psicológicos, e também pode danificar o coração, rins, pulmões, intestino, derme e o setor neurológico do indivíduo.

O crack começa sua ação através do sistema nervoso central, estimulando a atividade cerebral, dando uma maior sensação de autoconfiança, isto ocorre principalmente pela liberação de certos hormônios como a dopamina e a adrenalina.

A dopamina é o hormônio do conforto e do prazer, e neste caso é o que causa euforia, ansiedade, agitação e autoconfiança, aliado ao impacto da adrenalina, o que implica na perda de desejos, irritabilidade e aumento da pressão sanguínea.

O fumo também ataca todo o sistema respiratório e pode causar tosse, dificuldade de respiração e um aumento do risco de pneumonia e tuberculose.

 

Por que o crack é viciante para o usuário?

O crack tem a mesma substância ativa que a cocaína e, como a cocaína, age sobre os neurotransmissores e o sistema de recompensa do cérebro, neurotransmissores como a dopamina e a norepinefrina.

Estes neurotransmissores são responsáveis pelo prazer, paz, humor e concentração. A droga os atinge de forma exacerbada, a tal ponto que seu cérebro pode ficar refém do impacto químico e sentir a necessidade de repeti-lo.

A repetição do impacto também prejudicará o psicológico, fazendo com que o indivíduo fique química e mentalmente viciado na droga após alguns poucos usos.

 

Por que o Crack causa perda de peso?

Um dos sinais do Crack é produzir alterações na fome e no período de sono, de tal forma que o indivíduo ingere menos e tem problemas de sono excessivo ou insônia.

O usuário é frequentemente rachado pelo impacto do crack e pode passar dias fora de casa comendo mal e dormindo pouco ou mal. A pessoa dependente acaba perdendo peso, pois o impacto da droga é tão intenso que o indivíduo esquece de fazer coisas essenciais, como comer e descansar.

 

 

 

Tratamento de Crack

 

 

O consumo de crack pode causar uma overdose?

Overdose é o consumo de uma dose muito maior do que a recomendada em um período de tempo definido.

É claro que se alguém consome altas doses de crack, pode ter uma overdose e morrer.

Como uma droga que pode facilmente levar a um uso desenfreado, o perigo de overdose é alto.

 

 

Como saber se alguém usa crack é feito um diagnóstico para isso ?

Em primeira instância, o diagnóstico de dependência química deve ser feito por um psiquiatra, que o baseará nos sinais que o indivíduo tem sentido, principalmente sabendo que está usando a droga.

A avaliação do médico pode ser baseada em testes de laboratório que ajudam a ter mais informações ou a provar que o indivíduo está consumindo a substância.

Por exemplo, um teste de urina pode facilmente identificar os níveis da substância no corpo.

 

 

Como o crack pode prejudicar a interação do dependente com a família e amigos?

Como a dependência química nunca prejudica apenas o dependente, mas também aqueles ao seu redor, tais como amigos, colegas e parentes, essas pessoas precisam de apoio adequado.

Especialmente a família pode se tornar refém da pessoa viciada, tentando obedecer a tudo o que ele exige para que ele não cause inconvenientes ou o faça cair em si e ver como ele está errado. Mas isto não funciona!

 

 

 

Clínica de reabilitação para drogados

 

 

Quais são os tratamentos para a dependência química?

Os tratamentos para a dependência química são diversos, respondendo às necessidades gerais e particulares de cada pessoa.

A base é a desintoxicação, que é um tempo de retirada física das drogas, controlada e supervisionada por um médico, que pode ser feita com ou sem a ajuda de medicamentos para reduzir os efeitos da retirada.

No caso do Crack, não é muito comum, porém pode haver casos de agitação e delírio durante todo o processo. Portanto, é necessário entender que a desintoxicação tem como objetivo remover os efeitos negativos sobre o corpo do paciente e minimizar a dependência, de modo que ele esteja preparado e lúcido para os outros tratamentos.

 

Outro dos tratamentos mais conhecidos e eficazes é a psicoterapia, que visa abordar as razões e o início do que levou o paciente a consumir a substância, bem como trabalhar as reações e comportamentos que foram prejudicados pela dependência.

Existem equipes de apoio à dependência química, conhecidas como Narcóticos Anônimos (N.A.), onde um grupo é organizado para compartilhar experiências.

 

Usando o programa de doze passos como guia, baseado em um processo de espiritualidade para reprogramar as crenças que levaram ao vício.

Por último, mas não menos importante, o modelo de internação, que depende da internação do adicto em uma clínica para o seu tratamento, para que ele não só esteja fisicamente afastado da droga, mas seja tratado por uma equipe multiprofissional e um modelo de tratamento exclusivo que tenha uma abordagem biopsicossocial.

 

 

 

 

 

Como a pessoa dependente química pode lidar com a abstinência (retirada da droga) durante todo o tratamento?

O paciente sofrerá sinais de abstinência principalmente durante todo o processo de desintoxicação, que pode variar desde cansaço, dor de cabeça, irritabilidade e depressão, desejo de usar a droga, perda de concentração.

Para enfrentar estes sinais, é sugerido tomar medicamentos específicos para cada substância. Esta escolha é acompanhada e autorizada por médicos.

 

 

Afinal de contas, é viável para um viciado se recuperar do crack?

Sim, é perfeitamente possível e viável para uma pessoa viciada se recuperar e retornar a uma vida comum, uma vida com qualidade e que dá frutos.

O que não é possível é curar a dependência química, porque é uma patologia crônica, porém há a possibilidade clara de controlá-la e levar uma vida de abstinência regulamentada.

 

 

Crack: Clínica de Recuperação de Dependentes Químicos

A clínica é um ambiente no qual o viciado pode se retirar física e mentalmente das drogas e pode se concentrar inteiramente na recuperação, bem como ser tratado em todas as áreas danificadas pela droga.

Na maioria dos casos, o modelo de tratamento nas clínicas de recuperação são abordagens diversas, devido ao fato de que a dependência química também é um problema causado por vários inconvenientes nas áreas social, emocional, financeira, psicológica e biológica.

 

 

 

Clínica Recuperando Vida

 

 

Clínica Recuperando Vida

Na Clínica Recuperando Vida estamos preparados com uma enorme composição, uma equipe multiprofissional qualificada, um modelo de tratamento com abordagem biopsicossocial, formado por 3 fases.

A primeira é a orientação sobre dependência química, para produzir um entendimento inicial do que é dependência química.

 

A segunda é a terapia racional emotiva, para desconstruir as crenças que levaram às reações e comportamentos disfuncionais que causaram a dependência.

A última é a aderência ao programa dos Doze Passos, para construir novas bases e crenças que guiam um novo estilo de vida.

 

 

Crack: Conclusão

E neste artigo CRACK, nossa equipe de conteúdo buscou mostrar os principais pontos da droga que cresce absurdamente pelo mundo.

O crack é uma droga de sucesso por causa de seus efeitos e por ser tão destrutiva. O viciado sofre com o estigma e o preconceito ligado aos dependentes químicos.

O enorme problema é a falta de informação, pois a ignorância cria preconceito e faz com que essas pessoas sejam marginalizadas, uma vez que devem ser bem recebidas e tratadas.

Os usuários são pessoas que necessitam de ajuda especializada, pois permanecem em uma armadilha da qual não é possível sair por conta própria.

 

Apesar de sua força destrutiva, muitos adolescentes continuam a se entregar a esta droga, que não só prejudica o consumidor, mas também o núcleo familiar e os envolvidos.

A única maneira de impedir que o crack mate seu amigo, irmão ou criança é encontrar uma clínica de recuperação confiável.

O maior benefício de uma clínica especializada em dependência química é não apenas tratar a crise de abstinência, mas também ajudar o viciado a voltar a si mesmo e depois conseguir viver em sociedade.

 

 

 

Se libertar do uso do Crack

 

 

Duvidas frequentes

 

Qual é a pior droga do mundo?

As 10 drogas mais perigosas do mundo.

  • GHB

 

  • Anfetamina

 

  • Cigarro

 

  • Cocaína

 

  • Metanfetamina

 

  • Crack

 

  • Heroína

 

  • Álcool. O álcool encabeçou a lista para vários componentes.

 

Quanto custa o crack?

O pesquisador mostra que na Cracolândia, cada pedra de crack custa R$ 10. Assim, os R$ 192,70, o custo médio de cada cliente na área, representa um consumo de quase 20 unidades da droga por dia.

 

O que é fabricado o crack?

A cocaína é extraída da planta de coca Erythroxylon, e o processo de extração depende da maceração das folhas com solventes até a obtenção de uma pasta, pasta de coca.

 

O que acontece quando uma pessoa consome Crack?

Um dos sinais do Crack é produzir alterações no desejo e no período de sono, de tal forma que o indivíduo começa a ingerir menos e a ter problemas de sono excessivo ou insônia. O consumidor é frequentemente destruído pelo impacto do crack e pode passar dias fora de casa comendo mal e dormindo pouco ou mal.

 

Qual é a droga mais viciante?

A heroína. Os profissionais consultados por Nutt e sua equipe classificaram a heroína como a droga mais viciante e lhe deram uma pontuação de 3 em 3. A heroína é um opiáceo que faz com que o nível de dopamina no sistema de recompensa do cérebro aumente em até 200% nos animais de laboratório.

 

 

A Equipe de Conteúdo da Clínica Recuperando Vida Recomenda a Leitura dos Artigos:

 

 

Borderline

 

 

 

 

 

 

Alcoólatras

 

 

 

 

 

Vício de Cocaína: Como Parar?

 

 

 

 

 

Remédio Para Parar de Beber

 

 

 

 

como-ajudar-tratamento-para-usuarios-de-crack

 

 

 

CLÍNICA RECUPERANDO VIDA

R. Inácio de Vasconcellos Cunha Caldeira, 500

Jardim São Francisco – Piracicaba – SP

 

Fone:  (19) 3427-1643
Whatsapp: (19) 99188-2675

 

E-mail: contato@clinicarecuperandovida.com.br

 

WEBSITE OFFICIAL:

Tags desta página:
Crack, Tratamento usuários Crack, Clínica Recuperação para dependentes Crack, Dependência de crack
0 +
Visitas Mensais em nossa Clínica
0 +
Famílias Atendidas Mensais
0 +
Pacientes em Tratamento Por Ano
0 +
Abrangências em Estados brasileiros
Remoções 24 horas

Remoções 24 horas

O vício é imprevisível e começa a controlar a pessoa sem que ela perceba, ou seja, consequentemente algumas atitudes são tomadas sem que o dependente tenha conhecimento dos malefícios que estão causando e a solução mais plausível é iniciar o tratamento em um clínica de reabilitação.

Nossa equipe está em prontidão para remoção 24h por dia em qualquer região do Brasil através de ambulâncias equipadas, ou se a família preferir possuímos também carros descaracterizados para ações mais privativas e discretas.

Aceitamos Todos os Planos de Saúde

Fale com um de nossos consultores de plantão atendimento 24 horas via Whatsapp