Borderline

Borderline: Conhecer e compreender

E no novo artigo Borderline, desenvolvido pela equipe de conteúdo da Clínica Recuperando Vida, você vai entender e conhecer o Borderline.

Mas antes de conhecer e compreender o Borderline, é necessário saber o que é uma distúrbio de personalidade e o que ela implica na vida de uma pessoa.

Os transtornos de personalidade podem ter sua origem em fatores genéticos e ambientais.

 

Eles ocorrem quando os chamados traços de personalidade, que são os padrões de pensamentos, ações e formas de relacionamento de uma pessoa, se exacerbam de tal forma que se tornam inflexíveis ou inamovíveis, causando sofrimento psicológico e dificultando a relação com o mundo e com outras pessoas.

De acordo com o DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais) os transtornos de personalidade são divididos em três grupos, com o Borderline sendo incluído no grupo B, que são transtornos de personalidade de natureza emocional, dramática e errática.

 

Os transtornos de personalidade limítrofes, também conhecidos como borderline, afetam 6% da população brasileira, o que equivale a quase 13 milhões de pessoas afetadas pelo transtorno.

Além disso, de acordo com uma pesquisa da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), 10% dos pacientes diagnosticados em nosso país acabam cometendo suicídio, o que mostra a importância que a atenção a este transtorno merece.

 

 

O que é Borderline

 

 

 

 O que é borderline?

A palavra borderline significa quem está no limite, quem está na fronteira, ou limítrofe, quem está inseguro, esta definição se encaixa muito bem no padrão da pessoa que é afetada por este.

O transtorno de personalidade borderline  ou síndrome limítrofe é caracterizado como um problema psicológico no qual a personalidade da pessoa está manifestando constantes mudanças de humor, mudanças de comportamento, manifestações de impulsividade, raiva, angústia, insegurança, apresentando relações problemáticas com outras pessoas e medo de estar sozinha ou de se sentir abandonada.

 

A personalidade limítrofe tem medo de ser abandonada e às vezes coisas tão simples como estar atrasado para uma festa ou uma reunião importante podem parecer borderline que há algo de errado com elas ou que elas não merecem atenção.

 

A maneira como eles interagem com alguém e até mesmo a imagem que eles têm deles pode mudar rapidamente, de um instante para o outro, eles são muitas vezes descritos como imprevisíveis, isto acontece por causa do pensamento maniqueísta, onde as coisas estão sempre divididas em boas e más, certas e erradas.

Pessoas com esses distúrbios mais desenvolvidos podem alternar entre um estado mais calmo, mais estável e um estado de explosão psicótica, bem como momentos de descontrole emocional e comportamental.

 

 

CONVERSE COM A EQUIPE POR WHATSAPP – AGORA

 

 

 

Quais são as causas do Borderline

 

 

Quais são as causas do borderline?

O que se sabe até agora é que não existe uma causa única e comum para todos os casos de borderline.

O que existe são algumas possibilidades baseadas na análise clínica de vários casos ao redor do mundo e nas pesquisas conduzidas sobre este tema.

 

 

Ambiente familiar e traumas infantis

O trauma durante a infância pode desencadear e ser a causa de doenças futuras, especialmente quando ocorre no período conhecido como infância precoce, que vai dos meses de gestação até os 6 anos de idade.

Assim, o ambiente de vida da criança interfere muito neste processo. Este é o período em que pais e cuidadores estão mais próximos e são a principal fonte de influência e aprendizado para a criança.

Quaisquer mudanças importantes nesta dinâmica ou experiências traumáticas nesta fase da vida interferem diretamente neste processo, tais como negligência dos pais, divórcio e separação, perda de um dos pais ou outros cuidadores, abuso físico, abuso sexual e abuso verbal e psicológico.

 

Mudanças no cérebro

Algumas alterações no cérebro podem estar relacionadas ao desenvolvimento desta doença; problemas nas funções que regulam as emoções e comportamentos no cérebro, já que estas partes são menores no cérebro daqueles com desordem limítrofe.

Não se sabe ao certo se estas alterações cerebrais são as que iniciam o desenvolvimento da doença ou se elas ocorrem precisamente porque as pessoas desenvolvem Borderline, o que é certo é que estas alterações existem nos portadores da doença e podem, de fato, ser uma das causas.

 

Influência da genética

Estudos têm mostrado que pacientes com pais limítrofes têm maior probabilidade de desenvolver transtorno de personalidade, assim como outras pessoas podem ter uma predisposição genética para desenvolver o transtorno sem uma causa aparente.

 

Ainda não foi encontrado nenhum gene ou genes relacionados ao desenvolvimento de transtorno de personalidade Borderline.

Entretanto, estudos clínicos demonstraram que pessoas com familiares próximos que já tiveram a doença são muito mais propensas a desenvolvê-la.

 

 

CONVERSE COM A EQUIPE POR WHATSAPP – AGORA

 

 

 

Como é identificada o Borderline?

As pessoas que sofrem de Borderline tendem a ser muito instáveis e impulsivas, de modo que estes distúrbios interferem nos relacionamentos e vínculos.

Isto ocorre quando estas pessoas demonstram desorganização emocional, com grande impulsividade.

Eles tendem a fazer o que “sentem”, como eles dizem.

 

Em seus relacionamentos, eles são frequentemente muito enérgicos e interessados, mas também podem perder o interesse após algum tempo se se sentirem não correspondidos ou se não receberem a atenção que merecem.

Ter um relacionamento com essas pessoas pode ser difícil por causa de sua imprevisibilidade e instabilidade de humor, que pode alternar com bastante freqüência.

Isto a diferencia da desordem bipolar, com a qual é freqüentemente confundida, mas na desordem bipolar as mudanças de humor não são tão frequentes e a mudança não é tão repentina.

 

Pessoas com distúrbios Borderline são frequentemente comprometidas e determinadas a não serem abandonadas, muitas vezes têm uma auto-imagem que muda de acordo com seu estado de espírito, portanto sua auto-estima varia muito.

Em tempos de estresse, pessoas com distúrbios limítrofes têm pensamentos paranóicos, que podem gerar sintomas dissociativos e comprometer temporariamente a consciência da pessoa.

Devido às várias mudanças de humor e outros sintomas mencionados acima, sinais de automutilação, auto-sabotagem na vida pessoal, profissional e interpessoal, assim como tentativas de tirar a própria vida podem também se manifestar, e se não for identificada e tratada, a pessoa pode até cometer suicídio.

 

Estes são alguns dos sinais que podem ajudar a reconhecer alguém com Síndrome de Borderline.

É importante, em caso de suspeita, levar a pessoa a um psiquiatra e a um psicólogo, para que eles possam investigar a situação e informar como proceder.

 

 

Tipos de Borderline

 

 

Quais são os tipos do Borderline?

Ainda não há uma classificação única dos tipos de desordem de limítrofe.

Como não existe uma classificação oficial e vários autores tentaram classificar de acordo com suas teorias, aqui vamos falar sobre as mais conhecidas.

 

Borderline Convencional

De acordo com o autor Randi Kreger, que dividiu o distúrbio em dois tipos, Borderline Convencional e Borderline Invisível, falaremos primeiro sobre o que ele chamou de Borderline Convencional.

Também chamado pelo autor como Borderline de baixo funcionamento, as pessoas com este tipo de desordem têm uma tendência autodestrutiva, tendo uma maior incidência de comportamento suicida e auto-mutilação.

 

Eles são frequentemente hospitalizados ou internados no hospital devido ao seu comportamento, pois tentam aliviar sua dor emocional, descarregando-a sobre si mesmos.

Eles também tendem a tomar decisões precipitadas, colocando em risco seu futuro pessoal e profissional por causa de suas escolhas.

 

Borderline Invisível

Também chamado Transtorno de Borderline de Alto Funcionamento, porque permite à pessoa desempenhar suas funções normalmente, tais como trabalhar e estudar, muitas vezes a pessoa nem sabe que a tem, justamente porque os sintomas são pouco visíveis.

As pessoas com este tipo de transtorno do Borderline têm um comportamento autodestrutivo menos característico, mas ao contrário do Borderline Convencional, elas não descarregam suas frustrações e dores emocionais sobre si mesmas, mas sobre os outros.

 

Eles freqüentemente se envolvem em comportamentos verbalmente abusivos e insultuosos, extremamente irados, que podem incluir agressão e violência física.

Este tipo de comportamento tende a ocorrer com amigos próximos e/ou familiares na grande maioria dos casos, mas estes tipos de casos levam mais tempo e são mais difíceis de diagnosticar.

 

 

Vários tipos de transtornos

 

 

Borderline Impulsivo

A classificação de Theodor Millon é também uma das mais conhecidas. Entre os tipos classificados por ele, falaremos de Borderline Impulsivo, petulante e autodestrutivo.

De acordo com o autor, o paciente com transtorno de personalidade limítrofe pode manifestar comportamentos baseados em nenhuma ou várias dessas características.

 

O tipo impulsivo compartilha características comuns com portadores de transtorno de personalidade histriônica e transtorno de personalidade anti-social.

 

Eles tendem a ser muito sedutores, vaidosos, caprichosos, energéticos e impulsivos, podem ser indecisos quando confrontados com escolhas e se concentram em coisas superficiais, têm também um alto potencial de suicídio e não podem tolerar perdas e abandono, tornando-se mais sombrios e facilmente irritáveis.

 

Borderline Petulante

A seguir falaremos do tipo Borderline Petulante que, de acordo com a classificação de Millon, se caracteriza por ser mais pessimista e negativista, guarda rancores mais facilmente do que os outros tipos, tende a se engajar em comportamentos para desafiar a si mesmo e aos outros, pois são muito inquietos e impacientes.

 

Eles apresentam um comportamento passivo-agressivo, caracterizado por uma oposição interna entre o que é dito e o que é sentido e formas de negação indireta, o que leva à procrastinação, vitimização, esquecimento frequente, procrastinação, justificação excessiva, entre outros.

 

Borderline Autodestrutivo

Este tipo de Borderline é caracterizado principalmente pela raiva dirigida a si mesmo como uma forma de punição, geralmente uma pessoa mais introvertida com características depressivas e masoquistas como pontos centrais.

Dentro desta classificação, os casos de automutilação são comuns, sendo assim potencialmente suicidas, sua tensão interna é quase sempre alta e eles reclamam com alguma freqüência, mas se conformam rapidamente e não tomam nenhuma ação que contribua para a mudança.

 

 

Como é identificada o Borderline

 

 

O Borderline é mais comum em mulheres ou homens?

É um transtorno mais comum entre as mulheres, especialmente entre as mais jovens. No mundo, estima-se que seja na proporção de 3 para 1, ou seja, de 4 pessoas com o distúrbio, 3 são mulheres e 1 é homem.

 

No Brasil, não há dados ou índices que indiquem a prevalência da doença ou a proporção por gênero, portanto, a realidade da doença em nosso país ainda não é totalmente conhecida.

 

Acredita-se que o maior número de mulheres no total de casos se deve ao fato de que as mulheres consultam mais freqüentemente e, portanto, descobrem a doença mais cedo e em maior número.

 

 

Como você pode ajudar uma pessoa com transtorno limítrofe?

Acredite em mim, lidar com uma pessoa com Transtorno de Borderline é uma tarefa complicada que requer certa paciência e determinação, porque, como disse antes, os portadores deste transtorno se alternam muito no humor, tornando-se apegados e desprendidos muito facilmente.

Uma das principais características da personalidade do Borderline é o medo de abandono e rejeição, portanto, se você mostrar que está presente e que se importa com a pessoa, isso pode ajudá-la a não se sentir sozinha.

 

Sempre que a pessoa faz algo que pode ser reconhecido ou elogiado, é importante elogiá-la para que se sinta compreendida e amada, tendo também cuidado com as palavras ao se comunicar, pois sua auto-imagem muitas vezes é distorcida.

 

Além de ter muito cuidado para não acusar ou irritar a pessoa desnecessariamente, pois isso pode desencadear um episódio de agressão.

O que também é essencial é que você se coloque no lugar deles, exercendo empatia, entendendo que se você estivesse na situação deles você poderia agir da mesma maneira.

 

 

Transtorno Borderline entre as mulheres

 

 

Borderline: Conclusão

O Borderline ainda precisa de mais estudo e compreensão, porque cresceu muito com o tempo e suas causas ainda são incertas.

No entanto, a pouca informação que possui não é tão difundida, portanto, quanto mais for conhecida, mais informadas e preparadas as pessoas estarão para combatê-la, e para que a família e os amigos saibam como podem ajudar.

 

No Brasil há cerca de 2 milhões de casos de Transtorno de Personalidade Borderline, e em caso de suspeita é recomendado procurar um clínico ou psiquiatra para fazer o diagnóstico.

Após o diagnóstico é necessário proceder aos tratamentos adequados, os mais indicados são as psicoterapias e o uso de medicamentos se necessário, em alguns casos são recomendadas internações, em caso de sintomas graves, explosões e tentativas de suicídio.

 

 

Clínica Recuperando Vida Piracicaba

 

 

O risco de automutilação e tentativas de suicídio é real nos casos de Transtorno de Borderline, os sintomas podem evoluir para depressão ou ansiedade, assim como outros distúrbios de personalidade, por isso é muito importante espalhar a palavra e esclarecer dúvidas.

Espero que tenha gostado deste artigo Dependentes Químicos e a Clínica de Recuperação, produzido pela equipe de conteúdo da Clínica Recuperando Vida.

 

Se gostou deste artigo compartilhe com as pessoas que possam gostar ou precisem saber mais sobre deste assunto, e compartilhe também em suas redes sociais.

A Clínica Recuperando Vida publica semanalmente conteúdos de qualidade com foco em ajudar pessoas que precisam deixar a dependência de drogas e do alcoolismo.

Obrigado por sua leitura e nos vemos no próximo artigo!

 

Você não está só!

Conte conosco da Clínica Recuperando Vida!

 

CONVERSE COM A EQUIPE POR WHATSAPP – AGORA

 

 

 

DÚVIDAS FREQUENTES

Recebemos diariamente perguntas diversas de pacientes e seus familiares, que nos procuram para buscar ajuda.

Vamos deixar aqui respostas para as perguntas mais frequentes.

 

Como se sente uma pessoa com borderline?

Exstem vários sintomas que acometem pessoas com a Sindrome Borderline, conheça:

 

O que é desordem limítrofe – origem e indicações

Esforços desesperados para fugir do desamparo real ou imaginário

  1. Chefe de inter-relações instáveis, com extremos de admiração e ódio
  2. Complexidade relacionada à auto-imagem
  3. Alta impulsividade
  4. Comportamento suicida freqüente, com ameaças e auto-mutilação. …
  5. Mudanças de humor.

 

Como saber se a pessoa é borderline?

  1. Medo de desamparo. Uma das propriedades mais marcantes é o medo da retirada ou do desamparo …
  2. Raiva intermitente. Isto alimenta o medo da desamparo. …
  3. Mudanças de humor. Este é outro sintoma comum da patologia. …
  4. Vazio interior. …
  5. Maus hábitos. …
  6. Comportamento impulsivo. …
  7. Auto-aversão .
  8. Lente do passado .

 

 

Melhor Clínica de Recuperação

 

 

Como é a crise de um borderline?

Alguns relatam episódios que lembram ansiedade ou ataques de pânico; em outras ocasiões, eles tomam a forma de pensamentos obsessivos e intrusivos.

Limite em crise para alguns, assemelham-se a ataques de histeria, outros ficam paralisados. Depois há a despersonalização, a despersonalização, alucinações visuais ou auditivas.

 

O que é ser uma pessoa borderline?

Uma boa maneira de entender o que é a síndrome da fronteira é através da tradução do termo, que vem do inglês e interage com algo que é “borderline”. Em outras palavras, é uma condição que deixa o sujeito continuamente em seus parâmetros emocionais, com estados de ânimo e comportamentos instáveis.

 

Como acalmar um borderline em crise?

Algumas dicas sobre como lidar com uma pessoa com Desordem Fronteiriça são então propostas:

  1. Mostre que você se importa.
  2. Seja claro em sua comunicação.
  3. Não use palavras de reclamação.
  4. Seja constantemente desconfiado com empatia.
  5. Preste atenção aos gatilhos.
  6. Não contribua para ataques de raiva.
  7. Ser continuamente grato por ser viável.

 

 

A Equipe de Conteúdo da Clínica Recuperando Vida Recomenda a Leitura dos Artigos:

 

 

CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO EM PIRACICABA – SP

 

TRATAMENTO PARA USUÁRIOS DE CRACK

 

VÍCIO DE COCAÍNA: COMO PARAR?

 

CLÍNICA DE REABILITAÇÃO PARA ALCOOLISMO

 

 

 

como-ajudar-tratamento-para-usuarios-de-crack

 

 

 

CLÍNICA RECUPERANDO VIDA

R. Inácio de Vasconcellos Cunha Caldeira, 500

Jardim São Francisco – Piracicaba – SP

 

Fone:  (19) 3427-1643
Whatsapp: (19) 99188-2675

 

E-mail: contato@clinicarecuperandovida.com.br

 

WEBSITE OFFICIAL:

 

Tags desta página:
0 +
Visitas Mensais em nossa Clínica
0 +
Famílias Atendidas Mensais
0 +
Pacientes em Tratamento Por Ano
0 +
Abrangências em Estados brasileiros
Remoções 24 horas

Remoções 24 horas

O vício é imprevisível e começa a controlar a pessoa sem que ela perceba, ou seja, consequentemente algumas atitudes são tomadas sem que o dependente tenha conhecimento dos malefícios que estão causando e a solução mais plausível é iniciar o tratamento em um clínica de reabilitação.

Nossa equipe está em prontidão para remoção 24h por dia em qualquer região do Brasil através de ambulâncias equipadas, ou se a família preferir possuímos também carros descaracterizados para ações mais privativas e discretas.

Aceitamos Todos os Planos de Saúde

Fale com um de nossos consultores de plantão atendimento 24 horas via Whatsapp