Vício em Remédios

Vício em Remédios: A importância do diagnóstico e do tratamento

 

O vício em remédios é um problema crescente que às vezes não recebe a atenção que merece.

 

Embora não seja um crime, este mau uso e às vezes abuso, é prejudicial ao organismo e pode levar ao depedência, que geralmente é gerado à medida que os pacientes aumentam a dosagem da droga por si mesmos, levando em conta que a dose prescrita não tem impacto no momento.

 

Vários remédios usados indiscriminadamente, como certos tranquilizantes e ansiolíticos, tem o potencial de serem mais perigosas do que muitas drogas ilícitas.

 

 

 

Vício em remédios a Importância do diagnóstico e do tratamento

O que é dependência de remédios?

 

A dependência de remédios é um tipo de dependência química.

Para entender melhor: A dependência química é moldado pela compulsão e obsessão que o indivíduo demonstra por alguma substância, de modo que 2 fenômenos são expressos, abstinência e tolerância.

 

A tolerância é criada quando o corpo humano se acostuma a uma determinada substância e uma porção crescente é necessária para criar os mesmos efeitos que anteriormente eram alcançados com muito menos porção.

A abstinência, ou retirada, aparece quando o indivíduo é preservado longe da substância por um determinado período de tempo e, ao não tomá-la, começa a desenvolver sinais e sintomas envolvidos com a falta da substância à medida que o corpo tenta obter mais da mesma.

 

É claro que muitas pessoas não tem intenção de se tornar dependentes, apenas buscando alívio da dor e dos sinais, mas acabam tomando muito mais do que deveriam.

O enorme risco é que a maioria das pessoas nem mesmo percebe que seu amigo ou membro da família pode ser dependente de remédios. Mesmo que descubram cápsulas e papéis de remédios não ficam alarmados, em conclusão, não é o mesmo que encontrar uma droga illícita.

 

Entretanto, gostaria de ressaltar que ambas as situações são igualmente graves.

 

 

O que é dependência

 

 

Quais são as consequências do vício em remédios para o corpo?

 

O uso indiscriminado de remédios pode ter consequências profundas para o corpo do viciado, que, se não forem tratadas, podem ter consequências graves ou até mesmo levar a complicações que ameaçam a vida.

Em primeira instância, uma vez que vários medicamentos são aplicados simultaneamente, a relação entre eles pode causar atitudes adversas que tem o potencial de variar de leves a hospitalização.

 

Doses altas e overdoses tem o potencial de causar intoxicação, alucinações e overdose.

Vários remédios, se usados durante um longo período de tempo ou em excesso, tem o potencial de causar danos aos órgãos internos como o coração, fígado, rins, estômago e intestinos, e alguns tem o potencial de causar até mesmo danos ao cérebro, tais como perda cognitiva e demência.

 

Outros efeitos comuns são aumento ou diminuição da pressão arterial, taquicardia, alucinações, perda da sensação corporal, impacto sedativo, tontura e vertigem, vômitos, e até mesmo mudanças no comportamento do indivíduo.

Os efeitos variam muito, pois dependem do tipo de remédio tomado, do tamanho da porção, e se houve combinações com outras drogas.

 

 

O que leva uma pessoa a se viciar

O que leva ao vício em remédios?

 

Em meio às questões particulares e gerais, há certos componentes que podemos destacar. O primeiro, é claro, é o hábito de automedicação.

Esta prática é criada quando, sem consultar um médico, tomamos um medicamento a que já estamos acostumados em tal situação, como um analgésico, por exemplo. Às vezes até podemos fazer isto por recomendação de um membro da família ou de um amigo.

 

A auto-medicação pode resolver o caso rapidamente, mas pode aumentar a tolerância à substância no corpo humano, facilitando a dependência, o que leva a um uso cada vez maior.

O uso indiscriminado também é um desses componentes. É baseado no fato de que o indivíduo não respeita os lapsos entre cada dose e/ou não respeita as doses recomendadas, este uso pode ocorrer por conta própria ou mesmo naqueles que tem uma prescrição médica e decidem não segui-la.

 

Além disso, há aqueles que procuram especialmente remédios que geram efeitos alucinógenos e narcóticos para seu entretenimento, de modo que também tem a possibilidade de tornar-se dependentes, embora representem uma quantidade muito menor.

 

 

Quais remédios tem o potencial de causar dependência?

 

Existem vários tipos de remédios que tem o potencial de causar dependência, alguns são mais suscetíveis e outros requerem mais tempo para que a dependência se desenvolva.

Os ansiolíticos são utilizados principalmente para distúrbios de ansiedade e outros distúrbios associados. Alguns sedativos também tem mais modalidades produtoras de dependência, pois possuem benzodiazepínicos e barbitúricos em suas formulações.

 

Os benzodiazepínicos, assim como os barbitúricos, tem o potencial de causar efeitos adversos como confusão da mente, incoordenação e fala lenta e, com o tempo, tem o potencial de prejudicar funções cognitivas como memória, atenção, concentração e raciocínio. Semelhante aos efeitos do álcool, inclusive.

Os analgésicos também são conhecidos por serem viciantes uma vez que são usados de forma discriminatória. Alguns são opióides, ou seja, derivados da substância do ópio, o que explica o vício.

 

A substância opióide mais conhecida é a morfina, embora muitas outras também tenham efeitos semelhantes, como prisão de ventre, prurido (escoriações na derme que tem a possibilidade de inflamar-se e deixar a derme escamosa), náusea e vômito, com a era mostrando sonolência, diminuição do impulso sexual e prisão de ventre crônica.

Entretanto, os analgésicos tem o potencial de expor sinais de abstinência bastante fortes. Mesmo os remédios usuais para dor de cabeça, febre e mal-estar tem ainda a possibilidade de criar dependência, tudo depende do uso.

 

 

Quais são os sinais de vício em remédios e drogas?

 

O indivíduo que está sob a prevalência do vício em remédios age como uma pessoa viciada padrão. Se você prestar atenção, terá a capacidade de detectar certos hábitos e comportamentos que tem o potencial de ajudá-lo a identificá-los.

Na maioria dos casos, o indivíduo carregará constantemente qualquer tipo de droga com eles ou a manterá em gavetas e armários.

 

Ele ou ela não respeitará os intervalos de tempo de uso ou a porção, portanto é bom prestar atenção se o indivíduo toma os medicamentos nas doses certas e na hora certa.

Além disso, mudanças de humor e de comportamento, seja devido aos efeitos do remédio ou da abstinência, podem ser comuns.

 

Caso você pense, verifique também se o indivíduo pode parar de tomar o remédio a qualquer momento ou se ele começa a ter sinais e indicações adversas. Se isto acontecer, é um sinal de abstinência.

 

 

Como se livrar da dependência de medicamentos?

 

A dependência de medicamentos só pode ser abandonada com um tratamento especializado e correto.

 

A desintoxicação de uma pessoa viciada é um processo acompanhado por médicos e outros especialistas em saúde, que depende da retirada do medicamento do qual o indivíduo é dependente e permite a abstinência, mantendo assim o controle até que o organismo seja purificado das substâncias.

 

Então, as possibilidades processuais mais eficazes são a psicoterapia, os tratamentos farmacológicos feitos de maneira ideal e a internação em uma clínica de recuperação.

 

 

 

Como se livrar da dependência

A importância de uma clínica de recuperação no tratamento do vício em remédios

 

A clínica de recuperação serve como um lugar que tratará não apenas a patologia da dependência química, mas também suas causas psicológicas e sociais, tentando encontrar uma solução para os prováveis traços deixados para trás e tentando encontrar uma pessoa pronta para retornar à sociedade.

 

Na clínica, o paciente terá acesso não só ao tratamento, mas também ao relacionamento com outras pessoas que ainda estão passando pelo mesmo problema e será aconselhado e orientado por pessoas que antes eram dependentes químicos e conseguiram se recuperar e levar uma vida diferente.

 

 

Duvidas Frequentes

Aqui na Clínica Recuperando Vida recebemos muitas perguntas de pessoas que estão em buscas de ajuda. São dúvidas recorrentes e vamos responder as mais comuns delas:

 

Como se dá o processo de farmacodependência?

No tratamento dos dependentes temos a possibilidade de caracterizar 2 fases primárias: a desintoxicação, que visa a evacuação da substância; e a manutenção, que visa a reorganização da vida do sujeito sem o uso nocivo da substância (seja em um sistema de abstinência, seja em um ambiente de uso recreativo).

 

O que é dependência farmacologia?

A dependência é o estímulo que leva uma pessoa a usar uma droga continuamente (sempre) ou periodicamente (frequentemente) para obter prazer. Alguns indivíduos também tem a capacidade de fazer uso constante de uma droga para aliviar tensões, ansiedades, medos, sensações físicas desagradáveis, e assim por diante.

 

O que é ser um adicto?

O que pode ser dito é que o adicto é um viciado, principalmente relacionado ao uso de drogas ilícitas, porém também pode significar qualquer dependência psicológica ou compulsão por coisas como: jogo, comida, sexo, pornografia, PCs, internet, vídeo game, games de celular notícias, exercícios, trabalho, televisão, compras, etc.

 

 

Quais são os tipos de vícios em remédios

Quais são os tipos de dependência?

  • Dependência de drogas lícitas. O álcool, graças ao seu alto nível de consentimento social, é a droga cuja dependência é mais recorrente

 

  • Dependência de drogas ilícitas

 

  • Dependências emocionais e tecnológicas

 

  • Procedimento de vício

 

Quando ocorre a síndrome de abstinência?

Aqueles que permanecem no processo de dependência química renunciam ao uso da substância viciante, nesta situação a droga. O ato de abandonar a droga pode causar graves alterações no organismo dependente, desde alterações comportamentais até sensações físicas, isto é chamado de Síndrome de Abstinência.

 

O que é o que é abstinência?

A abstinência é o ato de abster-se de algo, em nome de qualquer objetivo, exemplificando, a abstinência de um alimento para uma base religiosa, como a abstinência de carne … Existem outros tipos de abstinência, tais como abstinência de alimentos, abstinência de disciplina, abstinência de sexo, e assim por diante.

 

Como é o comportamento de um adicto?

O comportamento já pode mostrar sinais de dependência graças a mudanças repentinas de humor, mostrando irritabilidade e agressividade, por exemplo. Além disso, a pessoa viciada mostra sentimentos de perseguição e extrema necessidade de consumir a droga.

 

 

Como funciona a mente de um adicto?

Sua mente é capturada pelas correntes da sensação de prazer que as drogas dão. Com isso, a perda dos laços, a irritabilidade, a inquietação, a ansiedade, a depressão e a mania persecutória tomam conta de sua mente de tal forma que produzem comportamentos que, se não fosse pela droga, não fariam parte de sua vida diária.

 

Como é a vida de um adicto?

Uma pessoa adicta leva principalmente uma vida dupla e mostra períodos raros de autoconsciência e percepção da verdade. Apesar das semelhanças, a patologia de cada pessoa leva a certas loucuras e não ter cometido nenhuma ilogicidade pode servir como justificativa para voltar ao consumo.

 

 

VÍCIO DE REMÉDIO

Vício em Remédios: Conclusão

 

O vício em remédios é mais perigoso do que você pensa.
Muitas pessoas já permanecem nesta condição, mas não se dão conta, pois a automedicação é muitas vezes feita porque somos encorajados a tomar medicamentos para quase tudo o que nos aflige e ou afeta.

Faça sua parte e informe a seus entes queridos sendo pai, mãe, irmãos, filhos, ou até mesmo pessoas próximas a você, falando sobre o vicio em medicamentos, e se algum deles precisar de ajuda, você sabe o que precisa fazer para tentar encontrá-la.
O vício em medicamentos é a ação de consumir cada vez mais remédios que não foram exatamente prescritos pelo médico.

 

A pessoa sente uma profunda necessidade de consumir o medicamento, ingerindo-o sem qualquer cuidado e controle.
Uma vez afastado do medicamento, é difícil para ele descansar, pode ter desconforto e outros sinais de abstinência.

Além disso, o medicamento produz mudanças no organismo, tornando sua ingestão cada vez mais recorrente, transformando o indivíduo em refém deste consumo.
Leia com atenção nosso artigo, por mais comum que possa parecer a alto-medicação gostaria de ressaltar que o uso indevido de qualquer tipo de medicamento coloca em risco sua vida oferecemos qualquer tipo de atendimento e suporte para o dependente e o familiar.

 

 

A Equipe de Conteúdo da Clínica Recuperando Vida Recomenda a Leitura dos Artigos:

 

 

Psicose

 

 

 

Cocaína

 

 

 

Vício de Cocaína: Como Parar?

 

 

 

MD Droga

 

 

 

 

como-ajudar-tratamento-para-usuarios-de-crack

 

 

 

CLÍNICA RECUPERANDO VIDA

R. Inácio de Vasconcellos Cunha Caldeira, 500

Jardim São Francisco – Piracicaba – SP

 

Fone:  (19) 3427-1643
Whatsapp: (19) 99188-2675

 

E-mail: contato@clinicarecuperandovida.com.br

 

WEBSITE OFFICIAL:

 

Tags desta página:
Vício em remédios, vício em medicamentos, vício em remédio, tratamento para vício em remédios, pessoas com vício em remédios, v´[icio em remédios para dormir, vício em tomar remédios
0 +
Visitas Mensais em nossa Clínica
0 +
Famílias Atendidas Mensais
0 +
Pacientes em Tratamento Por Ano
0 +
Abrangências em Estados brasileiros
Remoções 24 horas

Remoções 24 horas

O vício é imprevisível e começa a controlar a pessoa sem que ela perceba, ou seja, consequentemente algumas atitudes são tomadas sem que o dependente tenha conhecimento dos malefícios que estão causando e a solução mais plausível é iniciar o tratamento em um clínica de reabilitação.

Nossa equipe está em prontidão para remoção 24h por dia em qualquer região do Brasil através de ambulâncias equipadas, ou se a família preferir possuímos também carros descaracterizados para ações mais privativas e discretas.

Aceitamos Todos os Planos de Saúde

Fale com um de nossos consultores de plantão atendimento 24 horas via Whatsapp